quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O Nosso Forest Gump

"Como o personagem de Tom Hanks em Forrest Gump, seu filme preferido, Adão não corre por dinheiro ou medalha. Corre porque a endorfina produzida pelo seu corpo gera um prazer surreal. Corre, também, porque a genética foi generosa com ele. Seus músculos têm mais fibras vermelhas que brancas. Enquanto as brancas favorecem os velocistas de curta distância, as vermelhas, de contração mais lenta, ampliam a resistência – o que é ótimo para quem se esforça por muito tempo seguido. “Pessoas com predominância dessas fibras são dotadas para provas como as ultramaratonas (42 quilômetros ou mais)”, diz ­Turíbio Leite de Barros Neto, fisiologista com passagem pela Seleção Brasileira de Futebol e, hoje, coordenador do Centro de Medicina da Atividade Física e do Esporte, ligado à Unifesp."
Este é um pequeno trecho da matéria veiculada pelo site da  "Época São Paulo". A história de Adão Miranda da Silva, que mora a 54 quilometros do trabalho, e como treino, uma vez por semana, faz o caminho de volta correndo.
Pessoal vale a pena dar uma linda na matéria, é impressionante e apaixonante. 

Forest Gump


 Adão Miranda da Silva

2 comentários:

  1. Realmente uma bela matéria. Obrigado por compartilhar ...

    Bons treinos!

    Fábio
    www.42afrente@blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá. belissima matéria....um abraço e bons treinos....

    ResponderExcluir