sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Tá Chegando a Hora!


E não se fala em outra coisa, a não ser a São Silvestre, e principalmente a mudança de percurso. O que antes era o mais temido, a famigerada subida da Brigadeiro, parece que hoje tornou-se um refresco. Pelo menos é o que tenho percebido e estou começando a ficar apavorada, com as descidas implantadas no percurso. 
Mas vamos lá enfrentar de frente o problema. Para ajudar aos menos profissionais como eu, vou reproduzir um trecho da "Runner's World Brasil" com dicas para a corrida em declive, e também um vídeo de todo o percurso da prova. 

Morro abaixo
"Após subir, você terá que descer em algum momento. Embora todo santo ajude, não confie apenas neles para se soltar ladeira abaixo e sim nos seus quadríceps, os músculos da perna responsáveis por absorver boa parte do impacto, que é muito maior nesse momento. Por isso mesmo, um ritmo intenso, além de maior risco de lesão, pode levar a uma fadiga localizada que será sentida depois, no plano. Portanto, descer travado ou soltar vai depender do condicionamento de cada um. “Atletas profissionais descem soltos, em ritmo forte, para obter performance. Estão preparados para isso. Para os amadores, o melhor é que controlem a descida”, afirma Mário Mello.
“Quanto maior o declive, maior o impacto e, consequentemente, maior a atividade muscular para controlar esse impacto. Isso é feito por contração do quadríceps e produz maior quantidade de microlesões, antecipando a fadiga desse músculo”, afirma o especialista em biomecânica Roberto Bianco. Por isso, ele recomenda que o treinamento seja feito com velocidade controlada.
Cuidar da postura também é importante para se proteger mais. Além de manter o tronco levemente inclinado para trás, para deslocar o centro de gravidade, seus pés devem entrar em contato com o chão logo abaixo do seu corpo, não à frente. “Assim, o impacto será mínimo”, afirma Jim Schlentz, treinador da atleta olímpica americana Kate Fonshell. Um movimento menor dos braços também ajudará a encurtar a passada."




E mais uma vez desejo aos meus amigos e familiares um excelente 2012, cheio de saúde, paz, amor e harmonia. No dia 01 de Janeiro de 2012, espero poder contar aqui as aventuras da minha primeira São Silvestre. 

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A GENTE QUERIA MAIS!!!




Venho dizer o que todos já perceberam: 2011 está ficando para traz. Sempre terminamos o ano dizendo: “já vai tarde” ou “vou sentir saudades”. Eu particularmente sentirei saudades, pois foi em 2011 que descobri o melhor remédio, um único remédio para tantos males que nos acometem.

Este remédio nem custa caro, aliás, se você quiser ele sai de graça. Quer saber para que serve: cura depressão; a tal da pré-diabetes, abaixa o colesterol; eleva a autoestima; e ainda de quebra emagrece.

Este remédio também nos traz a felicidade, quando nos aproxima ainda mais das pessoas que amamos e nos dá a alegria de fazer novos amigos.

Enfim esse remédio milagroso é a CORRIDA. E neste final de ano quero agradecer à todas as pessoas que participaram deste meu inicio no mundo corrístico, como meu marido que passou a me acompanhar nas corridas; aos meus filhos que não aguentavam mais me ouvir falando de corrida, a minha irmã que participou de várias corridas comigo; ao meu “gatíssimo cachorro” Kolô, ao pessoal da minha assessoria Exercitt e aos meus amigos virtuais, que sempre com palavras afetivas me impulsionaram mais ainda à correr.

Mas também vou aproveitar para fazer um pedido ao Papai Noel. Porque eu acredito em Papai Noel. Ele está dentro de cada um de nós, e a partir do momento em que acreditamos sermos merecedores de dádivas divinas, como a vida, amor ao próximo, amor aos animais, e amor a nós mesmos, somos capazes de nos presentear com saúde, paz e compreensão.
Portanto meu pedido é que as pessoas procurem no seu interior, o seu Papai Noel, e assim presenteiem-se. Que as pessoas encontrem o seu “remédio”. Ele pode ser a corrida ou qualquer outro esporte, mas tem que te fazer bem, a você e aos que estão ao seu redor.

Desejo a todos um Feliz Natal e um Feliz Ano Novo, que em 2012 todos atinjam suas metas, superem não só seus tempos, mas superem todas as dificuldades que porventura lhes importunou em 2011.

E só para não perder o costume, desejo também a todos os corredores uma excelente “São Silvestre”, nos vemos lá, e prometo que dia 01 de janeiro de 2012, eu conto aqui tudo que rolou na corrida mais famosa do ano e como foi minha participação, lógico.




domingo, 11 de dezembro de 2011

Parabéns Guarulhos.


Adivinhem o que fiz hoje? Ou melhor, o que fizemos hoje? CORREMOS,  P’RA VARIAR.
Não é lindo, emocionante, prazeroso às 6 horas da manhã você ver um nascer do Sol assim, como prenuncio de um dia lindo?  Pois foi este o visual que tínhamos logo cedo, e lá fomos nós para mais um desafio.

Neste 11 de dezembro de 2011, uma Cidade muito conhecida principalmente de nós Paulistanos, está em festa, a nossa querida Guarulhos. Aliás, conhecida não só pelos Paulistas e Paulistanos, mas por muitos brasileiros e estrangeiros, que tem que dar nem que for uma passadinha por ela. Pois nela fica o Aeroporto Internacional de Guarulhos.
E foi em Guarulhos na comemoração de seus 451 anos, que corremos hoje, Jesus e Kolô nos seus 5 km e eu fiz os meus 10 km.
Corrida muito bem organizada, de ser copiada no seu total por várias organizações, aliás, tenho notado que quando a organização fica á cargo da Prefeitura da Cidade que sedia a prova, a coisa anda muito, mas muito bem mesmo. E por falar em Prefeitura olha aí o Prefeito de Guarulhos Sr. Sebastião Almeida, abrilhantando a corrida com a sua presença.

Sem contar que o valor da inscrição geralmente é 1/3 dos valores cobrados pelas grandes organizadoras. Só para ter uma idéia da organização, foi distribuído aos corredores um explicativo que deveria ser parte obrigatória de todo kit de corrida.


Outro ganho com a corrida foi a marcação efetuada no percurso para a corrida, ela será definitiva, e a partir do próximo final de semana será a ciclo faixa dos moradores de Guarulhos.


E para variar a grande estrela de hoje não foi a Queniana Nelly Jepkurui achou o percurso muito cansativo, com muitas subidas e descidas, ( se ela achou tudo isso, não vou nem comentar o que achei, to morta) mas a grande estrela foi o Kolô. O “loiro” foi até entrevistado, e já esta lá na pagina do Diário de Guarulhos a história do cão corredor. E para quem duvide que ele Treina, vai aí uma foto de uns de seus treinos, lá no parque do Ibirapuera.


E seguem as demais fotos deste evento delicioso de hoje. Porque agora o meu próximo desafio é a São Silvestre, tenho treinado bastante, embora quando me perguntam se vou correr na São Silvestre eu respondo: “Correr não, vou brincar e brindar o último dia do ano, fazendo aquilo que mais gosto: CORRER
Minha Chegada!

Meus corredores preferidos e suas medalhas.

Kolô e seu amigo Amaral de várias corridas.

À todos uma excelente semana e bons treinos.